domingo, 29 de abril de 2012

ONGS's: MÉRITOS E DEMÉRITOS

Por Luiz Antonio Domingues em Planet Econômico
Em sociologia básica, a denominação "terceiro Setor" é empregada para designar iniciativas organizadas pela sociedade civil em prol da utilidade pública. O segundo setor é o dos meios de produção (privado, o mercado) e o primeiro setor diz respeito ao poder público. Nesse sentido, a chamada "organização não governamental", ONG, teoricamente é um suporte e tanto para a sociedade, chegando onde o poder público não alcança. Essas organizações atuam em diversos campos, tais como: Meio ambiente assistência social, saúde, educação & cultura, combate à miséria, direitos humanos, contra arbitrariedades, defesa da fauna & flora etc. É evidente que a maioria das centenas de ONGs que existem espalhadas pelo planeta, cumpre suas metas com grande determinação, idealismo e boa vontade, mas esse tipo de expediente também abre brecha para aproveitadores e oportunistas em geral. Aqui no Brasil, por exemplo, a presidente Dilma recentemente mandou suspender todos os contratos de locação de verbas para ONGs, lhes dando um prazo até o dia 29 de janeiro, último, para que comprovassem cabalmente como estavam empregando a verba cedida do erário público, mostrando realizações concretas de benefícios sociais. Como resultado, 181 contratos foram cancelados sumariamente. Ou seja, Essa quantidade enorme de ONGs estava recebendo verbas oficiais e simplesmente não as empregando nos seus projetos sociais. Se a ideia é melhorar a sociedade fazendo coisas que os governos deveriam fazer e não fazem, nesse caso, somos duplamente lesados, como cidadãos. Dos 1403 casos analisados na malha fina do governo, ainda 305 não justificaram suas contas e ações, portanto, o número de gatunos surpreendidos tende a aumentar. E estamos falando apenas de verbas oficiais. Não nos esqueçamos de que ONGs podem captar recursos de empresas privadas e doações livres, incluso de pessoas físicas. Portanto, se existe má fé, a tentação é grande em explorar esse filão. E mais uma coisa: É preciso ter cuidado para se engajar em causas promovidas por ONGs, pois nem sempre há uma certeza cristalina de suas intenções. Muitas vezes, podem estar manipulando a boa vontade de pessoas de boa fé, em prol de interesses escusos. É muito bonito ver artistas engajados numa causa ambiental contra a construção de uma usina hidrelétrica supostamente nociva; indústria poluidora; uma mudança de curso de um rio etc. Mas você sai cegamente marchando pelas ruas por uma causa que não conhece direito? Cuidado! Muitas vezes, o suposto bom mocismo ecológico apenas mascara outros interesses, tão ruins ou piores do que aqueles que você fervorosamente foi às ruas para protestar.

Um comentário:

João Marcos Durski disse...

Boa matéria. Parabéns !