sábado, 11 de fevereiro de 2012

UMA OBRA PERDIDA DE LEONARDO DA VINCI


A obra conhecida como "Salvator Mundi", ou Salvador do Mundo, com 65,6 cm de altura e 45,4 cm de largura, era conhecida, dada a sua referência em documentos históricos, mas até aqui se julgava perdida ou mesmo destruída, à semelhança do que aconteceu com alguns dos trabalhos de Da Vinci. Segundo o,The Guardian”, existem tantos trabalhos perdidos de Leonardo da Vinci quanto os conhecidos.
A origem do quadro recentemente descoberto ainda permanece uma incógnita. Sabe-se que “Salvator Mundi” fez parte da seleção do Rei Carlos I da Inglaterra em 1649. Depois da sua morte, passou para Carlos II, que depois deixou a coleção de arte ao Duque de Buckingham, cujo filho leiloou as peças em 1763. Antes e depois destes acontecimentos não se sabe exatamente que teria acontecido, onde esteve, nem quem foram os seus proprietários. Apenas em 1900 surgem novos registros do quadro, quando foi adquirido pelo colecionador britânico Frederick Cook, mas pareceu danificado e a autenticidade de Leonardo da Vinci tinha já sido esquecida e acreditava-se que havia sido executada por um aluno de Da Vinci, Giovanni Boltraffio, quando então em 1958 foi vendida por US$ 72.
Em 2005, o “Salvator Mundi” foi adquirido pelo consorcio privado RW Chandler, de Nova York. Porém, até então a autoria do mestre italiano não era clara e foi decidido contratar Robert Simon, doutor em História da Arte da Universidade de Columbia, e especialista na pintura italiana renascentista, que iniciou então um estudo sobre a obra para certificar a procedência do quadro.
Apos cinco anos de investigação, Simon fez o anuncio oficial: “Após um amplo tratamento para sua conservação, o quadro foi analisado por vários especialistas internacionais e todos chegaram à conclusão de que Salvator Mundi é o original pintado por Leonardo da Vinci”, disse. Um dos pesquisadores envolvidos é Martin Kempprofessor da Universidade de Oxford e um dos especialistas que melhor conhece Leonardo da Vinci, o homem e a obra.
 “Salvator Mundi”, portanto é um original de Leonardo da Vinci. As opiniões dividem-se apenas na data, com alguns apontando que o trabalho foi feito em finais dos anos 1490, enquanto outros falam já depois de 1500. O comunicado explica ainda que são vários os elementos que não deixam dúvidas da autenticidade do trabalho, desde a qualidade de execução aos detalhes conhecidos nos estilos de Da Vinci.
Existem questões ainda não definitivamente esclarecidas e aguardando respostas como, por exemplo: Está claro que a figura é de Jesus Cristo, com a mão direita levantada em forma de bênção, enquanto na outra mão segura uma bola de cristal.
Por que nesta bola de cristal existe três pontos em formação triangular? Talvez tenhamos que esperar muitos anos para respostas definitivas.
“Salvator Mundi” vai estar exposto ao público, entre 9 de Novembro de 2011 e 5 de Fevereiro de 2012, numa exposição da National Galleryem Londres, intitulada “Leonardo da VinciPainter at the Court of Milanavaliado em torno de US$ 192 milhões de dólares.

Um comentário:

Cristal disse...

Pensei tb o porque da bola de cristal, 3 tem vários sifnificados misticos e religiosos mas a bola de cristal pode ser tantas coisas até mesmo a alma,
Isteresante.