domingo, 8 de maio de 2011

AVENTURA NA LAGOA DOS PATOS

Os professores Hiran Reis e Silva e Romeu Henrique Chala percorreram 265 quilômetros entre Porto Alegre Rio Grande

Chegada a Rio Grande depois de
oito dias de travessia em caiaque
Crédito: HIRAN REIS E SILVA
ESPECIAL/Correio do Povo

Oito dias de remo em caiaque para conquistar a Lagoa dos Patos. Foi assim que os professores Hiram Reis e Silva e Romeu Henrique Chala venceram em abril o desafio de cruzar a extensão de 265 quilômetros do maior manancial de água doce brasileiro, desde Porto Alegre até Rio Grande. Esta foi a segunda tentativa. A primeira, em 2009, precisou ser interrompida e o planejamento repensado diante das dificuldades da missão, com ventos de 70 km/h e ondas de um metro e meio de altura, acrescentando ingredientes de perigo ao que já é um desafio.

A dupla partiu da Capital no dia 10 abril, com plano de concluir a jornada no dia 16. Hiram, coronel reservista do Exército brasileiro, carregava na bagagem a experiência de duas travessias em rios da região Amazônica. Para ele, o segredo para encarar grandes aventuras está na capacidade de interação com o ambiente e, sobretudo, no condicionamento da mente. "Tem que ter preparo físico, sim, mas precisa muito mais preparo mental", ensina o professor.

Aos 60 anos, Hiram pode falar com segurança sobre o assunto. A formação militar atribuiu-lhe condição física invejável para um homem de sua idade, denunciada apenas pelo grisalho dos cabelos e pelo óculo, necessário para tarefas como a leitura. O braço forte para remar é o mesmo que instruiu militares do Exército brasileiro em táticas de sobrevivência na selva e operações especiais na Amazônia. Hoje, quando não estão praticando aventuras, as mãos do coronel riscam a lousa nas aulas de Matemática do Colégio Militar, na Capital.

Hiram explica que a diferença entre as travessias amazônicas e a conquista da Lagoa dos Patos está na condição da água. Enquanto os rios favorecem o deslocamento pela corrente, na Lagoa a posição do vento pode provocar ondas contra a lateral da embarcação. Numa dessas que o professor Romeu passou o maior susto da jornada. "Foi na sexta-feira, dia 15, perto da localidade de Ponta Rasa", lembra. A pequena embarcação de Romeu não resistiu à força dos ventos e virou três vezes. "Fiquei preso na saia do caiaque, com o corpo imerso na água. Precisei fazer muita força para sair da dificuldade. Confesso que tive medo de me afogar", conta o homem de 50 anos.

Para ele, no entanto, a oportunidade de compartilhar da experiência do "coronel" nas aventuras tem sabor de conquista e renovação. "Cada dia tem um aprendizado novo, sobre o ambiente e as pessoas que encontramos pelo caminho e sobre o respeito com a natureza", resume. Hiram acredita que os maiores legados de uma viagem de aventura estão nas lições que a natureza oferece e na possibilidade de interagir com pessoas nas comunidades por onde passa.

Finalmente, depois de superarem os golpes do clima e do tempo, com a ajuda de um barco de apoio para pernoites e refeições, os professores terminaram a viagem em 18 de abril, dois dias após o planejado, quando chegaram a Rio Grande.

Agora, os dois aventureiros já estão preparando a próxima missão: 1,7 mil quilômetros de remadas entre Porto Velho, capital de Rondônia, e Santarém, a "pérola dos Tapajós", encravada no solo do Médio Amazonas, no Pará. O desafio está marcado para começar no dia 22 de dezembro.

Mais detalhes sobre as aventuras na Amazônia e na Lagoa dos Patos podem ser encontradas no diário virtual de viagem no blog www.desafiandooriomar.blogspot.com, no website www.amazoniaenossaselva.com.br e no livro "Desafiando o Rio-Mar - descendo o Solimões", da EdiPUCRS.

Fonte: Correio do Povo -

3 comentários:

incognitus disse...

Meu bom dia
Xara eu gostaria de uma consideração sua a respeito do silencio e inercia da barulhenta CNBB e suas "pastorais" sobre a união da canalhada vermelha com o radicalismo islamico.
Foi criada uma Nova Ordem Mundial debaixo de nossos narizes com a aquiescencia da CNBB ao que me parece.
Dias negros ja vislumbram o horizonte " havera choro e ranger de dentes"

Juma Durski disse...

Pedro, envie um e-mail nos lembrando para votar no dia em que abrir a votação.....Obrigado!
Juma
http://blogdojuma.blogspot.com/

Pedro da Veiga disse...

Meu caro amigo Pedro do Incogmitus, realmente é muito lastimável o silêncio, inércia e omissão da CNBB sobre "a união da canalhada vermelha com o radicalismo islâmico", pois essa entidade está repleta de comunistas.
Pesquisei na Internet a respeito e não encontrei o posicionamento da CNBB sobrre o tema, no entanto descobri o site:

http://advhaereses.blogspot.com/

onde o amigo poderá se inteirar a respeito dessa facciosa organização que não tem o aval de Roma, onde poderá ver diversos e conflitantes temas, abusivos ao cristianismo.
Abraços