quinta-feira, 19 de maio de 2011

PINHÃO - PINHEIRO ARAUCÁRIA

Há quem diga que o fruto da araucária tem sabor e aspecto estranhos. Há controvérsias. Seja como ingrediente principal ou um simples coadjuvante, o Pinhão vem deixando sua marca registrada, com muito sabor, no Brasil e no exterior, ao longo dos últimos anos

Cozido ou assado na brasa, não tenha pressa. Deixe o fogo atuar lentamente para que a casca se abra e libere todas as qualidades de aroma e sabor dessa maravilha da natureza. Essa é a maneira mais tradicional de se deliciar com o pinhão, mas essa semente da araucária também entra bem em receitas doces e salgadas.

Além de saboroso, o pinhão apresenta um valioso teor nutricional. Tanto que era a principal fonte de alimentação de algumas tribos indígena do sul do Brasil. Em sua polpa encontramos basicamente amidos, vitaminas do complexo B, cálcio, fósforo e proteínas.

Imponente nos campos de maior altitude, a Araucária é o símbolo mais forte da paisagem de pare da região Sul do Brasil. A árvore, que resiste à ação devastadora do homem, preserva além de suas características biológicas, aspectos importantes da cultura serrana. O pinhão é a principal delas. Ao contrário do que todos pensam, trata-se da semente da árvore e não do seu fruto. Não deve ser retirado das árvores antes do dia 15 de abril.

O gênero Araucária tem suas origens em cerca de 200 milhões de anos atrás, e abrange 19 diferentes espécies, que são encontradas apenas no hemisfério sul. Além do Brasil, somente países como a Austrália, Chile e Argentina conhecem a beleza dessa árvore.

Já a espécie Araucária angustifólia, a que conhecemos aqui no Brasil, também se restringe aos estados da região sul, onde é encontrada em pelo menos 9 variedades.

O pinhão é característico das festas juninas do interior do Paraná, São Paulo e Minas. Por ser produto do Pinheiro do Paraná, a Araucária, que apenas vegeta em serras e zonas de inverno, guarda algum sabor regionalista, porém pela sua abundância e pela época de sua colheita (maio, junho e julho), o pinhão é fundamental nas festas juninas.

A presença do pinhão remonta a importância que tem como alimento para as primeiras populações das serras. Os bandeirantes do Vale do Paraíba, por exemplo, marcavam a saída das incursões em datas que fizessem coincidir com a passagem pela Serra da Mantiqueira, com a safra de pinhão. Assim, garantiam uma alimentação farta e de alto poder alimentício e energético. Cozido em grandes panelas ou assados na brasa, o pinhão é uma festa e a sua degustação coletiva se transforma em uma verdadeira comunhão.

Apesar de ser um alimento delicioso e muito nutritivo para a alimentação humana, assim também é para a fauna silvestre.

Além disso, a araucária tem ligação direta com roedores e aves como a Gralha Azul, que são agentes importantes para a dispersão das sementes na floresta. Por esse motivo, o de manter o processo natural da árvore em seu habitat, a colheita, o transporte e a comercialização do pinhão fora do prazo vem sendo fiscalizados desde 1967.

A ocupação do meio rural, o desrespeito do ciclo natural da espécie e a exploração da sua madeira colocaram a árvore araucária na lista oficial das espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção. Dos 20 milhões de hectares originalmente cobertos pela Floresta de Araucária, restam apenas dois por cento.

A araucária pode viver mais de 200 anos e produzir em média 40 pinhas por ano. Cada uma delas contém aproximadamente 150 sementes que perdem a viabilidade em apenas 120 dias. Além disso, nas populações naturais, a fase de reprodução só tem início a partir do vigésimo ano.

Quem desrespeita o prazo da colheita do pinhão não está somente desrespeitando a lei, mas interferindo na conservação e manutenção da variabilidade genética dos poucos pinheirais remanescentes.

Beneficios para a saúde:

O pinhão tem propriedades que são benéficas para a saúde. “Além de delicioso, ajuda a minimizar o risco de câncer por conter manganês, zinco, ferro, fibras e vitamina E, dentre outros componentes Ela destaca que o fruto auxilia no controle do colesterol e diabetes, age contra a fadiga e é muito eficaz para estimular a libido. No entanto, a nutricionista afirma que, como todos os frutos secos, o pinhão também deve ser consumido com moderação, pois na sua composição existe muita gordura, algo em torno de 50%. “O tipo de gordura existente no pinhão é denominada ‘gordura boa’ (insaturada) de mais fácil digestão que as da carne (saturadas).
a única restrição do consumo de pinhão é para crianças menores de dois anos, por ser um alimento muito “forte” e formador de gases. “Para crianças com mais de dois anos, o pinhão deve ser ofertado em pequenas quantidades para ver se ela não tem alergia ou alguma intolerância ao produto, mas não se pode esquecer que o consumo não deve ultrapassar a quantidade de cinco a sete unidades por refeição”, orienta. Tabela comparativa de valor calórico em relação ao pinhão: Um pinhão equivale a 10 folhas de alface, Dois pinhões equivalem a 1 suspiro pequeno, Três pinhões equivalem a 4 bolachas água e sal, Quatro pinhões equivalem a 1 fatia (média) de mamão, Cinco pinhões equivalem a 3 bolachas doces, Seis pinhões equivalem a 1 maçã pequena, Sete pinhões equivalem a 2 colheres (sopa) de arroz, Oito pinhões equivalem a 1 pão francês sem miolo, Nove pinhões equivalem a 1 porção (média) de pipoca, Dez pinhões equivalem a 1 copo de iogurte pequeno, Onze pinhões equivalem a 1 barra de cereal, Doze pinhões equivalem a 1 copo de leite integral, Treze pinhões equivalem a 1 uma porção (pegador) de macarrão, Quatorze pinhões equivalem a 4 fatias finas de salame, Quinze pinhões equivalem a 1 fatia de bolo simples, Dezesseis pinhões equivalem a 1 lata de refrigerante, Dezessete pinhões equivalem a 1 ovo frito, Dezoito pinhões equivalem a 1 fatia pequena de pizza.

Receitas com a semente:

Sopa de Pinhão Simples
Ingredientes:

1 xícara de pinhão cru; 1 litro de água; 1 envelope de caldo de carne; Algumas gotas de limão
Cebola e alho.
Preparo:
Bata os pinhões, a cebola e o alho no liquidificador, misturando um pouco de água. Coloque os ingredientes já triturados, o caldo de carne e o limão em uma panela com o restante da água, mexendo sempre. Se o caldo ficar muito grosso, acrescente mais água.
Sopa de Pinhão Condimentada
Ingredientes:
1 Kg de pinhões cozidos; 1 Kg de músculo cortado em cubos; 3 colheres (sopa) bem cheias de gordura; 2 cebolas; 5 dentes de alho; 1 colher (sopa) de sal; 1 colher (sobremesa) de orégano; 1 colher (sobremesa) de cominho; 1 xícara de farinha de trigo; 3 litros de água.
Preparo:
Pique a cebola e o alho. Frite na gordura bem quente ate dourar. Refogue a carne e adicione os temperos. Cubra com dois litros de água e deixe cozinhar por 40 minutos, até que a carne fique bem macia. Enquanto a carne cozinha descasque os pinhões.
Metade dos pinhões descascados vai para o liquidificador com um litro de água, uma xícara de farinha de trigo e uma pitada de sal. Despeje esta mistura no caldo de carne.
Mexa devagar ate começar a ferver novamente. Acrescente a outra parte dos pinhões que ficou reservada. Mantenha a sopa em fogo baixo até o momento de servir. Rende 2 porções.
Dica: Acompanhe com pãezinhos temperados e vinho tinto.

Sopa de Pinhão de Curitiba

Ingredientes:
8 xícaras de água; 2 xícaras de ervilha congelada ; 2 xícaras de milho verde; 1/4 xícara de bacon picado; 2 colheres (sopa) de óleo; 1/2 colher (sopa) de salsa fresca picada; 1/2 colher (sopa) cebola picada; 1 kg de pinhão cru
300 g de músculo bovino cortado em cubinhos; 3 dentes de alho amassados; 1 pitada de pimenta do reino; Sal.

Preparo:
Cozinhe o pinhão por 30 minutos na panela de pressão, descasque e reserve.
Em outra panela, coloque o óleo, a cebola, o alho e o músculo e tempere com sal e pimenta. Refogue por cinco minutos ou até a carne perder a cor rosada.
Adicione quatro xícaras da água e deixe ferver. Tampe e cozinhe por uma hora e meia ou até o músculo ficar macio. Bata no liquidificador a batata, o milho verde, a ervilha e metade do pinhão cozido junto com a água restante, até obter um creme ralo. Corte o pinhão restante em pedacinhos. Ponha na panela com o músculo, junte o creme, mexa e leve ao fogo para aquecer. Em uma panela pequena, frite o bacon por cinco minutos ou até dourar. Acrescente à sopa e mexa. Polvilhe com a salsa e sirva. Rende 8 porções.

Paçoca de pinhão da mãe da Verena

“Cozinhe o pinhão (com casca) até ficar mole, abra um e veja se já está bom, dependendo da quantidade vai demorar mais ou menos tempo. Abra os pinhões e passe no processador ou no moedor, vai ficar igual farinha mais grossa, se tiver pilão e quiser experimentar pode ser também, mas dá mais trabalho. Reserve. Para o mesmo peso do pinhão já moído/processado/pilado use carne de porco/frango ou bovina mesmo. Corte em tirinhas muito finas e num refogado bem reforçado de alho, cebola e azeite doure bem a carne, até que fique bem moreninha. Salgue um pouco. Nessa panela onde está a carne já dourada coloque a farinha grossa do pinhão, misture bem e salgue a gosto. Se quiser pode acrescentar cheiro verde picado.

* Se quiser fazer só de pinhão também pode, depois de processado o pinhão faça o refogado e jogue a farinha grossa de pinhão na panela, salgue a gosto.
* Pensei até em fazer com carne de sol...deve ficar deliciosa!
Não use água, o refogado da carne deve estar com azeite ou manteiga para incorporar o pinhão sem ficar aquela coisa seca.
Sirva com arroz!
Espero que goste, essa é a receita que a minha mãe faz!

2 comentários:

Juma Durski disse...

Araucaria angustifolia....linda àrvore da família das coníferas.
Mais conservados no sul do Paraná.
Dizimado aqui no Centro Oeste e Norte.
Fato que observei em minhas andanças como agrônomo, é que de Toledo -PR, em direção à Guaíra, e regiões próximas, não há a presença do Araucaria.

Marcelo Hartuing disse...

Acontece que o ambiente próprio da araucária é em altitudes compreendidas entre 500m e 1200m, cotas maiores do que as registradas em Toledo e para lá do oeste paranaense. A região de Cascavel, de fato, é o limite oeste da área arborizada naturalmente com araucária. No entanto, acredito que um exemplar plantado poderia se desenvolver perfeitamente nessa região, contanto que fosse fornecido o provimento necessário de irrigação, fertilização e de luz solar.

Acredito apenas que ela atingiria sua fase senil precocemente, ou seja, o formato de cálice que ela normalmente forma a partir dos 30 ou 40 anos, faria-no com uns 15 ou 20, tendo uma longevidade não maior do que a metade de um indivíduo da região de Curitiba, por exemplo.